Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Qua | 27.06.18

Musicalizando com... The Norton's Project - #1

Entrevista aos The Norton’s Project

 

Imagem 2.jpg

Os The Norton’s Project estão de regresso, este ano, com um novo EP.

“It’s Time”, com sonoridade entre o funk, o jazz e o soul, e composto por quatro temas - “It’s Time”, “Goodbye My Love”, “I Don´t Want You”, e “Waking Up!” - é descrito pela banda como "vibrante, enérgico, com muito ritmo e muito “groove”, com uma boa energia e mensagens fortes".

Fiquem a conhecer melhor os The Norton’s Project, nesta entrevista que o seu mentor concedeu à Inominável.

 

Quem são os The Norton’s Project?

Neste momento os The Norton´s Project são um quinteto formado por:

António Norton – Fundador do projeto, voz, letras, composição e arranjos

Tiago Cordeiro – Saxofone e arranjos

João Diogo Roque – Guitarra elétrica e arranjos

João Delgado Nunes – Baixo

Leonardo Miranda – Bateria

 

Como é que surgiu a ideia de se juntarem neste projeto?

A ideia partiu de mim - António Norton.

Desde que comecei a pensar em montar um projeto de originais que tive a ideia que gostaria de músicos na área do Jazz que pudessem improvisar livremente em espaço aberto para solos.

O Jazz para mim é uma das linguagens mais ricas e versáteis no domínio da improvisação e como também é a minha escola, surgiu naturalmente este interesse em reunir malta da área do Jazz.

Quanto à escolha dos instrumentos, sempre pensei ter uma sonoridade que englobasse o som do saxofone e da guitarra elétrica.

Estes dois instrumentos sempre foram dos meus preferidos e adoro a sua conjugação. Não tive qualquer dúvida que os queria ter neste projeto.

Para a guitarra elétrica escolhi o guitarrista e compositor João Diogo Roque.

Conheço o João há uns bons anos. Fomos colegas na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa. Sabia que ele tinha seguido música e que estudava na Escola Superior de Jazz de Lisboa. Convidei-o para gravar o primeiro Cd comigo e desde então faz parte do The Norton´s Project.

O saxofone pertence ao Tiago Cordeiro. Conheço o Tiago desde os meus tempos de estudante de música na Academia dos Amadores de Música. Frequentámos as mesmas aulas de harmonia e fizemos parte de um workshop de Jazz dado pelo Saxofonista Greg Osby. Sempre gostei da sua forma de improvisar e convidei-o para rodar o primeiro álbum e, desde então, faz parte da comitiva.

O Leonardo Miranda é o baterista deste projeto. Foi-me aconselhado pelo baterista Ariel Rosa, que chegou a tocar connosco. Ficámos rendidos à sua musicalidade e juntou-se à malta.

O baixo ficou a cargo do João Delgado Nunes. Foi-me aconselhado pela malta do Trio Cadmira e acabei por o convidar para uma audição e assim passou também a fazer parte do grupo.

E assim nasceu a formação atual.

Sem Título.png

Quais são as vossas maiores inspirações a nível musical?

Todos temos várias inspirações. Algumas que influenciaram estes temas e outras que não.

Talvez a melhor forma de responder a essa pergunta é falar sobre as nossas influências para este EP.

Nesse sentido, tivemos várias influências. Em termos de estilos musicais diria Funk, Soul e R&B.

Quanto a músicos e bandas, aqueles que nos afloram mais ao nível consciente são:

Do universo da Motown: Stevie Wonder, Sam & Dave, Booker t & the msg, Otis Redding.

De soul e R &B mais contemporâneo diria d'Angelo e José James.

Outras referências são Dave Mathews Band, Tower of power, Jamiroquai, Bruno Mars, Nile Rodgers & Chic, Jaco Pastorius, Pino Palladino, Flea e James Jamerson.

 

Em 2013 editaram o primeiro álbum “Happiness, Love and Despair”. Regressam agora, 5 anos depois, com um novo trabalho: “It’s Time”. Sentiram que estava na hora de dar este presente ao público?

Nem mais. It´s time!

Não foi propriamente pensado esperar cinco aninhos para voltar. Por mim até o teria feito mais cedo, até porque as canções já têm alguns anos, mas a verdade é que demora o seu tempo a reunir a malta, a encontrar agendas compatíveis, tempos de ensaio, de gravação, etc...

Tudo isso demora o seu tempo.

Mas este é um bom timing para o regresso em força, com muita energia e vontade de fazer música.

(continua)

__________________________________________________________________

Publicado em Inominável nº 14

por Marta Segão, autora do blog Marta O meu canto e participante no blog Clube de gatos

Siga-nos no Bloglovin