Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Seg | 18.04.16

Por terras do Rei Artur #1

Inominável
Eu vivo numa ilha. E quando se vive numa ilha tem-se, por vezes, a sensação de viver num mundo à parte, como que num conto cheio de personagens excêntricas, mas onde a excentricidade é a chamada normalidade. Desta vez vou falar destas personagens e desta atmosfera alternativa, onde a vida é borbulhante, as meninas andam na rua vestidas de princesas, os meninos de super-heróis (e adultos também, um dia esbarrei contra um Homem-Aranha que vestia, no mínimo, um L) e as canções na (...)
Qui | 10.03.16

Por Terras do Rei Artur #2

Inominável
Chegados a Dulverton, apanhámos (mais) um choque térmico, e também um choque geográfico: a charming little town publicitada pela rede de autocarros consistia numa rua principal, a que chamam High Street, uma igreja e algumas lojas. É uma vila situada num vale, rodeada de uma bruma romântica, e de uma natureza quase selvagem, onde podemos visitar o Parque Nacional de Exmoor, bastante afamado no distrito, mas infelizmente os nossos pobres pés quase congelados mostraram dolorosos (...)
Qua | 09.03.16

Por Terras do Rei Artur #1

Inominável
Chegou Fevereiro mas, como podem calcular, escrevo mais um capítulo deste diário aberto ainda em Janeiro. No rescaldo das festas natalícias e da entrada neste novo ano, a mergulhar nos braços frios do (agora) verdadeiro Inverno por aqui, tento superar a eminente congelação dos meus membros com idas ao ginásio (resolução de novo ano, claro!), e tendo uma capacidade de noção de moda, que eu não sabia que podia ter, com camadas e camadas de roupa. É o meu primeiro Inverno, e (...)
Sex | 08.01.16

Por terras do Rei Artur

Inominável
Desde pequena, muito pequena, que me lembro de gostar de tudo o que era proveniente de Inglaterra, desde a sua língua e musicalidade, aos desenhos animados em que os animais não só falavam, como o faziam com British accent! A minha mãe tinha um estranho fascínio por tudo o que se relacionava com as famílias reais, sendo a inglesa uma das suas preferidas, (...)