Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Seg | 27.08.18

Diversidades | Do pensamento elástico aos estáticos extremos de Portugal #1

Inominável
Numa recente incursão pela Rota da Terra Fria Transmontana, tive o privilégio de participar numa actividade nocturna de observação de planetas, estrelas e algumas constelações. Nesta acção promovida pelo PINTA – Parque Ibérico de Natureza e Aventura de Vimioso, surpreendi positivamente alguém (presumo que uma dinamizadora) por ter acrescentado à sua afirmação de que (...)
Sex | 15.06.18

Diversidades | Faróis ConVida #3

Inominável
(continuação) O Farol do Cabo de São Vicente destaca-se pela sua importância geoestratégica – edificado no ponto mais a sudoeste do continente europeu – e pelo facto de possuir um dos maiores aparelhos ópticos do mundo (o maior dos faróis portugueses), que permite emitir luz visível até 32 milhas (cerca de 59 km).   Ter-se-á iniciado em 1515 no (...)
Qui | 14.06.18

Diversidades | Faróis ConVida #2

Inominável
(continuação) O farol de Leça, impulsionado pelo naufrágio do paquete inglês “Veronese” em Janeiro de 1913, é uma torre cilíndrica com 46 metros de altura – o topo alcança-se subindo 213 degraus – colorida com finas riscas verdes, tendo entrado em funcionamento em Dezembro de 1926. Emite uma luz com um alcance de 28 milhas náuticas (cerca de 52 (...)
Qua | 13.06.18

Diversidades | Faróis ConVida #1

Inominável
 “… soy en la noche un diamante que gira advirtiendo a los hombres. Por quienes vivo, aun cuando no los vea …;” “Soliloquio del farero”, Luis Cernuda (1902-1963)   É difícil descobrir melhor ideia para definir a função de um farol que a de iluminar a orla marítima ou, como se expressam os faroleiros, fazer o alumiamento do mar. "Farol" deriva da palavra grega Faros, nome da ilha próxima da antiga capital do Egipto onde, no ano 280 a.C., foi erigido o farol de (...)
Qua | 18.04.18

Diversidades | Valorização de Detritos - parte 2

Inominável
(continuação)   Procedimento para realizar a compostagem Os resíduos de cozinha e resíduos de jardim devem ser adicionados em idênticas proporções. No entanto, no Verão a quantidade de resíduos de jardim deverá ser maior do que a dos resíduos de cozinha, e no Inverno deverá ser o oposto. Os resíduos devem ser bem misturados. De vez em quando poder-se-á espalhar no composto ossos triturados ou cal em pó. Uma colher cheia de cada, uma vez por mês, é suficiente. Regue cada (...)