Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Qui | 20.09.18

Tanto mar entre nós... | Doabre

Inominável
   DOABRE (*)  O rio de João Cabral é um corpo mutilado,discurso de canal engordado sob gondola;cabeça-nascentes do pensamento truncado,é mão amputada dos dedos longos distante. Salta em caldo engorda corpo represado.Ou emagrece, se afina no curso seu tom;uma silhueta na passarela disforme tortaconsumida na pena serelepe dos homens. Mas o mesmo rio grita sua fome de mellode anas, de roseanas, de helenas e baronesde tantos outros que se encontram no rioem meio curso do fio (...)
Ter | 18.09.18

Animais & Mais | Reforço positivo versus TV Show – A queda de um encanto (2)

Inominável
 Mas vou tornar isto mais prático, só para perceberem melhor do que falo. Imaginem um cão que fica possuído sempre que se liga o aspirador! Ladra e ataca-o como se aquilo fosse o Adamastor surgido do nada para lhe atazanar o sossego canino. O que faria o Cesar Millan? Tipicamente, nos episódios, vemo-lo a conversar com os donos para compreender a situação. E nada de pesquisar sobre a saúde do cão… Mas adiante, vamos supor que o cão até é saudável, excetuando a “tara” (...)
Seg | 17.09.18

Animais & Mais | Reforço positivo versus TV Show – A queda de um encanto (1)

Inominável
 Quando falo em treino ou adestramento de cães (ou até outros animais) as pessoas sorriem e dizem que já sabem do que falo e nomeiam-me logo o “Cesar Millan”, o homem que se auto designa como “encantador de cães”. Nada me consegue pôr mais furiosa do que isso!!!! Chego a ficar com os cabelos e pêlos em pé e pele de galinha!!!! Julgo que até se vê a sair fumo da minha cabeça!!!  O senhor até pode ter algum jeito para cães, não sei, apenas sei que aquele programa é (...)
Qui | 13.09.18

Play it Sam! | Cinema em "carne e osso"

Inominável
 Após muitos números a falar da sétima arte pura e dura, creio ter chegado o momento de falar sobre cinema numa perspectiva mais urbana… Lisboa, desde que me lembro, sempre teve muitos cinemas. Há 30/40 anos ir ao cinema era um acto de cultura. E tendo em conta as distâncias percorridas, maioritariamente em transportes públicos, ver um filme equivalia quase sempre a gastar um dia. Se ainda por cima morássemos relativamente longe, havia que escolher uma matiné e mesmo assim na (...)
Qua | 12.09.18

Tanto mar entre nós... | Sem ti

Inominável
  SEM TI O sol apagou-seo céu fechou-sea noite caiu,ficou gélido o tempopelo afastamentode quem de mim partiu. Saíste desabridade orgulho vestidae sem olhar para trás,dei-te a minha vidahistória perdidaque não sei onde jaz; Já não estás nem pertoe não quero estar certodo que isto causou,mas vivendo sem tipara o mundo morrio amor me matou.  _________________________________________________________________Publicado em Inomin (...)