Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Qui | 13.07.17

Viagens | as praias da Costa Smeralda #4

#3 Rena Bianca

A praia Rena Bianca, junto a Portisco, tem uma areia branquíssima e uma vista de cortar a respiração para o golfo de Cugnana, onde a visão de grandes iates e veleiros é uma constante. Além de estar bem servida de estruturas de apoio e ter um bom parque de estacionamento, é uma praia abrigada ideal para os dias em que o vento sopra um pouco mais forte. E sem dúvida uma das minhas preferidas.

 

 

#2 Cala Capriccioli

A Cala Capriccioli é um encanto de praia. Pequena e graciosa, com uma belíssima vista e encastrada entre grupos de rochas, tem muito espaço para estacionar e é bastante abrigada, o que a torna particularmente atractiva para os grupos familiares. Por essa razão, enche-se rapidamente de gente e nem sempre é fácil encontrar lugar para estender a toalha. Apesar disso, é uma das praias de que mais gostei, talvez pelas suas formações rochosas suaves e arredondadas, algumas emergindo no meio da água, e muito apreciadas pelos corvos-marinhos para os seus banhos de sol.

 

 

#1 Cala Brandinchi

A jóia da coroa das praias da Costa Smeralda é sem sombra de dúvida a Cala Brandinchi. Situada no distrito de San Teodoro, na zona do Cabo Coda Cavallo, é conhecida como “a pequena Taiti”. E na verdade, se nos abstrairmos do facto de estarmos na Europa, ficamos com a impressão de que estamos numa ilha remota e paradisíaca. Uma praia longa em forma de meia-lua, rodeada de pinheiros, com areia muito fininha e a água mais tranquila e transparente que é possível imaginar. Há parque de merendas no pinhal, ideal como abrigo nas horas mais quentes, e um snack-bar com uma enorme zona de relva e mesas protegidas por simpáticos chapéus-de-sol. O único senão é o facto de o acesso à praia ser pago (por hora de estacionamento, e não é propriamente barato). Todas as estradas de acesso são privadas e existe uma única entrada para veículos, com cancela, a cerca de quilómetro e meio de distância. E para ir a pé, o local mais próximo onde é possível estacionar fica a quase dois quilómetros. Mas é caso para dizer que vale bem a pena gastar alguns euros para passar umas horas no paraíso.

 

 

Porto Cervo

Não é uma praia, mas seria impensável falar da Costa Smeralda sem falar de Porto Cervo. É a localidade mais conhecida da região, ponto de paragem obrigatório para os muito endinheirados, que ali têm à disposição tudo o que podem desejar: discrição, sossego, duas marinas com as melhores infra-estruturas, incluindo um estaleiro naval, hotéis, spas, animação nocturna e lojas de luxo. Tudo embrulhado num ambiente muito próprio, cosmopolita e ao mesmo tempo aconchegante, apanágio do verdadeiro luxo, aquele que não se ostenta e se goza calmamente. A arquitectura de Porto Cervo reflecte a estrutura típica das casas da região da Gallura, numa concepção orgânica que inclui influências gregas, espanholas e mouriscas. Por detrás das fachadas enganadoramente simples, pintadas em tonalidades de ocre e tijolo, escondem-se luxuosas casas e hotéis, entre eles alguns dos mais caros do mundo, com suites a ultrapassarem em certos casos os 30.000 dólares por noite. E é também por estas bandas que se encontram os lotes de terreno mais caros da Europa, alguns deles com preços que atingem os 300.000 euros por metro quadrado. De tudo isto nos apercebemos facilmente ao passear, por exemplo, à noite pela marina: numa das zonas de amarração contei nada mais, nada menos do que 24 iates com dois decks ou mais de altura – os de dimensões inferiores a esses são tantos que é impossível conseguir contá-los. Ou quando vagueamos pelo centro comercial ao ar livre onde se alinham, estrategicamente resguardadas do calor por amplas arcadas, lojas de praticamente todas as marcas de luxo.

 

 

O carácter quase exclusivo da Costa Smeralda durante várias décadas terá sem dúvida contribuído para a preservação do seu meio ambiente privilegiado e da sua beleza selvagem. O que prova que é possível manter o equilíbrio ambiental e a qualidade da oferta mesmo em áreas de turismo intensivo. Para desfrutarmos em pleno desta linda região e das suas praias, nem que seja apenas uma vez na vida.

 

 

____________________________________________________________________

Publicado em Inominável nº 4
por Ana CB autora do blog Viajar. Porque sim

Siga-nos no Bloglovin
 

2 comentários

Comentar post