Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Ter | 01.08.17

There, There | Aborto

There, There | Aborto

 

Aulas de filosofia. A coisa mais odiada pela vasta maioria dos alunos do secundário. Eu não faço parte dessa maioria. Eu adoooro as minhas aulas, especialmente quando o professor se põe a inventar coisas.

Nos intervalos sabe-se que qualquer professor de filosofia que se preze tem de sair da escola para fumar umas ervinhas, porque essa é a única maneira de perceber filosofia. No entanto acho que o meu professor já transcendeu as simples ervinhas, e passou a pedir emprestada uma farinha especial. Ervas são para os fracos.

Bom, tudo isto para dizer que o meu professor é contra o aborto. Tal como muitas pessoas, que têm todo o direito à sua opinião errada.

Eu não me importo com as opiniões das pessoas, a sério, desde que sejam baseadas em factos e não noutras opiniões. Se o meu professor me viesse dizer que é contra o aborto, e me apresentasse uma razão válida para isso, tudo bem. Mas quando ele me vem dizer que o aborto é imoral porque (ouçam isto) o monte de células que é abortado pode VIR A SER uma pessoa, isto faz me pensar que eu quero a mesma farinha que ele.

Então professor, está a dizer-me que se acontece sexo oral e a mulher engole o esperma do homem, ela deveria ser presa por canibalismo? Porque os espermatozoides no esperma PODERIAM VIR A SER pessoas? I rest my case.

Há pessoas que acham que abortar devia ser um crime porque é homicídio. Essas pessoas obviamente não têm um mínimo de conhecimento sobre biologia ou sobre as regras para o aborto. Mas como dizia o Manzarra, o tio explica. Escolher abortar só é viável quando aquilo que está dentro do útero da mulher é um monte de células, sem atividade cerebral ou nervos. O monte de células NÃO SENTE o aborto, porque o monte de células NÃO ESTÁ VIVO. Quando nos arranhamos e sai sangue estão a sair células, mas não as ouvimos a gritar de dor. Os casos em que o aborto acontece quando o feto já está formado, é porque ou já está morto, ou irá viver uma curta e miserável vida fora do útero devido a uma doença qualquer, ou irá ter uma doença tão má que a sua qualidade de vida vai ser mais baixa que a de um bocado de papel higiénico; ou, pior ainda, se a gravidez continuar a mãe morre. Sim, porque já houve e sempre haverá mulheres que não abortam porque todos lhes dizem que é errado, e que o bebé merece viver, e depois quando morrem os dois no hospital fazem-lhe um funeral e diz-se que ela era uma boa mãe, que Deus a levou muito cedo, e entretanto estão os outros filhos dela a tentar perceber onde é que a mãe deles foi e porque é que o pai está a chorar. (Opinião pessoal: as pessoas que fazem isto acontecer deveriam ter sido abortadas)

Ao impedir um aborto escolhido, as consequências são outras. Se a mãe for uma adolescente, ela vai ficar com danos no corpo (e mente) para o resto da vida ao continuar a gravidez, porque o organismo de uma adolescente ainda não está inteiramente formado. Uma vítima de violação vai ser obrigada a passar o resto da sua vida a reviver um trauma, de cada vez que olha para a criança. Uma mulher que esteja a abortar por razões financeiras vai ficar com ainda mais dificuldades. Mesmo que não haja razão nenhuma aparente, como é que acham que uma criança irá crescer se for criada numa casa em que não é desejada? “Então e dar para adoção?” Digam isso aos milhares de crianças que estão em orfanatos à espera de serem adotadas.

 

There, There | Aborto

 

Aqui fica uma nota final. Para as pessoas que dizem a quem vai abortar para simplesmente dar o bebé para adoção, adotem todos os miúdos em orfanatos e depois venham falar comigo sobre isso. Para aqueles que dizem “se não queres engravidar, não faças sexo”, fica aqui um dedinho muito especial. Gostava que tu tivesses engravidado de cada vez que fizesses sexo e depois gostava de te esfregar na cara as tuas opiniões quando fosses fazer o aborto da vigésima gravidez.

 

 

____________________________________________________________________

Publicado em Inominável nº 8
por Maggie autora do blog Saturno

Siga-nos no Bloglovin
 

5 comentários

Comentar post