Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Sex | 07.07.17

Histórias de Arte | a descobrir

Sofia Silva
  Nesta terceira colaboração desvendo, numa breve exposição, dois artistas plásticos portugueses que vos quero dar a conhecer. São pintores/escultores da minha geração, que estudaram comigo, e que fazem das artes a sua vida, mostrando-nos a sua forma de ver o mundo, o que os rodeia, a sociedade e os seus sentimentos.     Alexandre Madureira nasceu no Porto em 1976. Fez o seu percurso académico entre Portugal e Barcelona. Tem realizado várias exposições individuais e (...)
Qui | 25.05.17

Histórias de Arte | João Cutileiro

Sofia Silva
  A minha grande paixão pela escultura reflete-se nesta segunda crónica. Vou falar-vos de João Cutileiro. O escultor João Pires Cutileiro nasceu em Lisboa a 26 de Junho de 1937. O seu pai era médico e pertencia à Organização Mundial de Saúde, pelo que as viagens foram uma constante na sua vida. Em Lisboa a família convivia com vários nomes do panorama intelectual português da altura. Nesta fase da sua vida, João Cutileiro frequentou os ateliers de António Pedro, Jorge (...)
Qua | 22.03.17

Miguel Ângelo (ii)

Inominável
O Papa Júlio II incumbiu Miguel Ângelo da pintura do teto da Capela Sistina, que deve o seu nome ao Papa Sisto IV. A capela é usada para reuniões do Colégio dos Cardeais destinadas a eleger novos Papas, o conclave, e também para as cerimónias da Semana Santa. Entre 1508 e 1512 Miguel Ângelo realizou a difícil obra, uma prova de resistência e assombrosa criação. As formas de Miguel Ângelo são dotadas de força escultórica e ímpeto plástico próprio. Os frescos são uma (...)
Ter | 21.03.17

Miguel Ângelo (i)

Inominável
Esta minha “viagem” teve o seu ponto de partida no início do ensino secundário, mais concretamente na disciplina de História de Arte. A beleza das artes plásticas é algo que se sente e se vê. Este sentimento foi aumentando com o passar da aprendiza-gem, com o estudo de vários autores/artistas, de cada obra que me foi dada a conhecer. Cada um de nós tem os seus artistas preferidos, as correntes (...)