Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Qua | 13.12.17

Musicalizando com... Miguel Gameiro

 

Como é que nasceu a sua paixão pela música?

Nasceu há cerca de 25 anos. Sempre gostei de música. O meu pai ofereceu-me uma guitarra e comei a escrever e a compor.

 

Aos 18 anos fundou, juntamente com António Villas-Boas, Rodrigo Ulrich, Francisco Aragão, Tó Rodrigues e Tiago Oliveira, a banda Pólo Norte. Como descreveria essa etapa da sua vida, enquanto músico?

Foi uma etapa de descoberta. Foi a concretização de um sonho.

 

Anos mais tarde, enveredou por uma carreira a solo. Quais são as principais vantagens e desvantagens, relativamente ao trabalho enquanto membro de uma banda?

Uma banda obriga a um consenso e a algumas cedências. A solo, a liberdade criativa é total.

 

Considera esta transição, de banda para cantor a solo, o percurso natural de um artista?

Há bandas que estão juntas uma vida inteira. As coisas são o que são.

 

Em 2016, 20 anos depois de terem gravado o primeiro dueto em “O Grito”, partilhou o palco com o Miguel Ângelo numa digressão pelo país, repetindo a experiência que já tinham vivenciado em 2011. Considera que a partilha do palco, e da música, entre dois artistas, acabam por os tornar mais ricos e completos?

Todas as oportunidades para trocar experiências e pisar o mesmo palco são excelentes. Aprendemos muito e divertimo-nos muito também.

 

 

Como é que o Miguel, músico, se torna no Miguel, chef Continente? Em que momento é que a cozinha entrou na sua vida?

Eu não me tornei Chef Continente. Fiz formação em cozinha na Escola de Hotelaria do Estoril e em Paris com Alain Ducasse. Estagiei também em alguns restaurantes de renome.

 

“Maria” é o novo trabalho discográfico, composto exclusivamente por duetos com mulheres. Como é que surgiu esta ideia?

Percebi que já trabalhei com algumas mulheres e colaborei com outras tantas. Achei interessante fazer um disco sobre e para a Mulher.

 

O que considera fundamental para que um dueto funcione?

Empatia.

 

Quais são os ingredientes que não podem faltar nas suas músicas?

Palavras que façam sentido e boas melodias.

 

Sendo “Maria” um álbum que pretende celebrar a Mulher, podemos contar com o lançamento do mesmo a 8 de março do próximo ano?

Dia 8 de Março de 2018 será o lançamento oficial do disco.

 

 

Nota: Esta conversa teve o apoio da editora Farol Música, a qual cedeu também as imagens e vídeos.

 

 

__________________________________________________________________

Publicado em Inominável nº 11

por Marta Segão, autora do blog Marta O meu canto e participante no blog Clube de gatos

Siga-nos no Bloglovin