Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Qui | 06.07.17

Fotografia: A luz e o olhar | fotografar... (iv)

Fotografia: A luz e o olhar | fotografar... (iv)

 

Uma fotografia carregada de técnica pode não ser a melhor fotografia do mundo. Para isso, tem de ter algo nosso, algo que transmita um sentimento de cada vez que se olha.

Fotografar é paixão!

 

Apesar de ainda me faltar abordar o último lado do triângulo de exposição, nomeadamente a sensibilidade à luz, desta vez optei por um artigo mais sentimental, e deixarei esse tema para mais tarde. Não que tenha menos ou mais importância do que as outras duas variáveis, mas considero importante partilhar dicas práticas para usar no terreno técnicas já abordadas, enquadramentos e conselhos.

Para mim as viagens estão sempre ligadas à fotografia. Viagens que nos transportam sempre para outras culturas, outras vivências. E se as melhores “fotografias” são aquelas que guardamos na nossa memória, também não é menos verdade que todos gostamos de as registar através de uma objetiva. Portugal tem uma riqueza paisagística inacreditável, e há uma pequena parte deste nosso cantinho lusitano que é um paraíso para qualquer fotógrafo que prefira a paisagem à fotografia urbana ou social: os Açores!

Para este número optei por mostrar algumas fotografias das ilhas de S. Miguel e Terceira, numa viagem aos sentimentos despertados pela paixão e contemplação da natureza.

Conselho que logo à partida vos posso dar: visitem todos os spots cliché. Explorem ângulos e contemplem a beleza ímpar de uma das mais belas paisagens do mundo.

Na minha infância, e até mesmo na adolescência, ainda sem a proliferação de canais televisivos, era recorrente ver nos concursos mais conhecidos prémios que sorteavam viagens aos Açores. A exibição do prémio era normalmente acompanhada por uma fotografia que recordo com facilidade. Tive a possibilidade de fotografar esse local do meu imaginário. No entanto, e ao contrário de qualquer promotor turístico, não pude retirar de lá todas as pessoas e conseguir a foto “limpa”. O Miradouro da Gruta do Inferno, na ilha de S. Miguel, além da memória da minha infância oferece uma caminhada que contempla a natureza em todo o seu esplendor e em estado puro. Reservem para vós algum tempo para se encantarem! Estejam sempre com um olho no caminho e com as vossas câmaras preparadas. Com sorte, podem ter uma fração de segundo sem ninguém a poluir a fotografia, ou com poucas pessoas, que devidamente enquadradas com o vosso frame podem dar um resultado agradável.

 

Fotografia: A luz e o olhar | fotografar... (iv)

 

Quando estiverem no alto do Miradouro sintam a beleza da vista para as Lagoas das Sete Cidades.

 

Fotografia: A luz e o olhar | fotografar... (iv)

Localização: GPS 37º50’23.38N/25º45’36.43O

 

Recomendo um agasalho, pois à altitude de 780 metros o vento pode tornar-se um pouco desconfortável. Um termo com chá quente (da Gorreana, pois claro!), acompanhado com as tradicionais Queijadas do Morgado (Vila Franca do Campo), são o melhor aconchego num fresco dia soalheiro.

Outro local cliché de S. Miguel é a Lagoa do Fogo. Procurem os ângulos batidos, disfrutem das vistas de todos os Miradouros que acompanham a subida da Caldeira Velha (Ribeira Grande) até ao Miradouro da Barrosa. Mesmo que o nevoeiro vos possa fazer pensar em desistir, o meu conselho é que não o façam… Sempre que subi até ao Miradouro da Barrosa nunca me arrependi da vista, mesmo que por vezes seja por apenas alguns segundos.

 

Fotografia: A luz e o olhar | fotografar... (iv)

Localização: GPS 37º45’45.71N/25º39’32.54O

 

Este é o lugar ideal para aquelas selfies, hoje tão populares para os utilizadores de dispositivos eletrónicos que registam imagens (sim, fotografia é diferente…), vulgarmente conhecidos por telefones, smartphones e afins!

E não partimos de viagem até à ilha Terceira sem primeiro vos falar do Miradouro do Pico do Ferro. Vista privilegiadíssima para a outra popular Lagoa São Micaelense: A Lagoa das Furnas!

A cor característica da Lagoa fica muito mais acentuada se a fotografarem com a incidência do sol sobre o manto. Aproveitar as sombras provocadas pelas nuvens que se possam intrometer entre a água e o sol pode dar um contraste engraçado. Explorem!

 

Fotografia: A luz e o olhar | fotografar... (iv)

Localização: GPS 37º46’18.90N/25º20’03.20O

 

É imperativo fotografar nas Caldeiras, local onde se confeciona (no subsolo) o famoso Cozido das Furnas. Procurem ângulos, cores, vistas e curvas que podem dar fotografias interessantes!

 

 

Mas S. Miguel tem tanto, mas tanto para descobrir, que devem partir na vossa própria expedição e descoberta. Há encantamento para os sentidos depois de cada subida, ao virar de cada curva, à passagem de um novo local.

Se S. Miguel é estupidamente bela, a Terceira é fabulosamente natural! Local a visitar num final de tarde: Miradouro da Serra do Cume.

 

Localização: GPS 38º42’34.90N/27º06’44.30º

 

Toda a Ilha Terceira tem cantos, recantos, e uma imensidão de motivos que podem tornar a viagem fotograficamente inesquecível. Depende de cada um… Depende da paixão que sintam.

 

 

E lembrem-se; a fotografia nunca acaba no momento em que a registam pela vossa camara. Aí começa todo um novo mundo de edição, que fica para descobrir mais tarde.

 

Fotografia: A luz e o olhar | fotografar... (iv)

 

Fotografia: A luz e o olhar | fotografar... (iv)

 

Até lá, boas fotos e boas viagens!

 

 

____________________________________________________________________

Publicado em Inominável nº 8
por Gil Cardoso autor do blog Gil Cardoso

 

Siga-nos no Bloglovin