Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Qui | 21.01.16

Eu, o cinema e o Natal! #1

Alguém imagina a época natalícia sem luzes, pinheiros, Pai Natal ou prendas? Certamente que não! Também eu partilho desta certeza! Mas acrescento àquelas premissas… o cinema!

Ora, é desta relação fraterna e muito próxima que vos venho aqui falar!

A época do Natal sempre foi, para o cinema, um manancial de ideias e razões para lançar comercialmente muito dos seus filmes. Naturalmente, alguns de notória qualidade, mas a maioria nem tanto.

A Walt Disney Company é uma das grandes produtoras americanas de filmes de, para e sobre o Natal. Na sua maioria em desenho animado, o que acarreta logo consigo uma áurea doce e imaginativa. As nossas crianças que o digam…

Mas neste espaço não se fala somente de cinema mas outrossim de música. Tal como já havia referenciado em artigo anterior, a música foi desde os primórdios uma parte integrante do cinema. E claro está que o Natal é uma das musas obrigatórias.

Num contexto mais pessoal e quando relembro o meu lhano passado, encontro neste um filme que me marcou. Essencialmente por ter sido o primeiro que vi num grande ecrã, era eu um mero gaiato!

Quem não conhece esta história bem romântica? Pois é… incrivelmente (ou talvez não!!!) este é o meu filme de Natal!

Regressando ao assunto que aqui me trouxe, reconheço que o cinema tem muitos e bons exemplos de longas-metragens com referência à época natalícia. Desde já, o primeiro de que me lembro é “The Christmas Carol”, de 1938. Um filme baseado num conto de Charles Dickens e que veio a originar muitas outras versões, algumas bem recentes!

Em 1942 é exibido “Holiday Inn”, com Bing Crosby e Fred Astaire e onde aquele canta uma das mais belas músicas de Natal, composta por Irving Berlin e que todos seguramente conhecem: “White Christmas”. Uma vez mais a boa música colocada ao dispor da sétima arte. Um filme a preto e branco e que nunca vi passar nas televisões.

Dois anos mais tarde, em plena Segunda Guerra Mundial, Vincent Minnelli realiza “Meet me in St. Louis” onde a sua futura mulher, Judy Garland, cantaria entre outras canções a celebérrima “Have Yourself a Merry Little Christmas”. Mais uma fantástica referência ao Natal, e que ainda hoje perdura.

Texto de José da Xã autor dos blogs LadosAB e José da Xã. Participante nos blogs O Bom, o Mau e o FeioA Três Mãos e És a nossa Fé! e publicado na Inominável nº 1

Siga-nos no Bloglovin