Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Revista Inominável

A revista para lá da blogosfera!

Qua | 21.10.15

Consultório (pouco) Sentimental… a pergunta

header_consultoriopoucosentimental1.jpg

 

Queridas amigas,

Procuro o vosso conselho numa questão delicada e, acrescento, dolorosa.

Eis o meu problema: veio há umas semanas a lume aquela coisa do site das pessoas que procuravam amantes – a Ashley Addison ou lá o que era. Aqui pela rua foi um sururu, toda a gente a ver as listas e descobrir quem andava a comer por fora. Até agora, a única pessoa que sabíamos que andava a enfeitar a esposa era o Serginho do 1º andar, que anda sempre metido no ginásio e afinal levantava mais do que pesos (se bem que o personal trainer deve ser pesado).

Quando percebemos a dimensão da coisa fiquei para morrer (a coisa é o fenómeno, não o haltere do Serginho). Praticamente todas as minhas amigas tinham os maridos inscritos no site para encontrar amantes – e algumas delas também lá andavam, foi uma sorte não se terem cruzado. A única que sobrou, a Sofia cabeleireira, deixou uma permanente a meio e foi para casa mais cedo para festejar o facto de ter um marido fiel e encontrou-o na cama com a empregada – não estava na bendita lista, mas também andava a riscar nomes.

Até o Afonso, com uma barriga de cerveja que mete medo e ar bonacheirão de quem não faz mal a uma mosca – o Afonso que até leva rosas à esposa sempre que fazem anos de casados – andava lá no site a molhar o bigode.

E assim chegamos ao problema: o meu marido não estava nas listas. Nem tenho a menor dúvida de que me seja dedicado. Tive de mentir às minhas amigas para não ser vista como a única fraca que não tem um marido aventureiro e interessante.

Não sei o que fazer, se está alguma coisa errada com ele. Não é que tenha excesso de sexo em casa, que a mim muitas vezes dói-me a cabeça e ele até desiste de me tentar, quando olha para a minha cara de “mete-te na tua vida”.

Não sei por quanto tempo consigo esconder que tenho um bom homem em casa.

Portanto, resumindo: o meu marido não me trai. Devo deixá-lo?

Isabel, 42 anos

 

As nossas consultoras são a Maria das Palavras autora dos blogs Maria das Palavras e Consultório de Prendas.  e M.J. autora do blog E agora? Sei lá!. Ambas participam no blog Aprender uma coisa nova por dia

(in revista nº 0)

Siga-nos no Bloglovin
 

9 comentários

Comentar post